CENTRO DE APOIO E PROMOÇÃO DA AGROECOLOGIA

Notícias

Núcleos Verê e Marechal Cândido Rondon celebram 20 anos de trabalho

27-07-2017

Jairo de Souza Americano, de São Miguel do Iguaçu, adotou a homeopatia na agropecuária por orientação do CAPA


Núcleos têm a mesma origem

Há 20 anos, o CAPA, presente no RS e SC por meio dos núcleos Erexim, Pelotas e Santa Cruz do Sul, passou a atuar estado do Paraná, a partir dos núcleos sediados nos municípios de Verê e Marechal Cândido Rondon. A proposta foi a mesma: trabalhar em prol da agricultura familiar e camponesa de base ecológica. Jhony Alex Luchmann, tecnólogo em Horticultura, mestre em Agronomia e coordenador do CAPA/Núcleo Verê, contextualiza o porquê da criação do CAPA. “Com a Revolução Verde e o êxodo rural, o Brasil transformou-se de agrícola para urbano. O CAPA surgiu neste período de transição, onde famílias agricultoras migravam para cidade por não existirem investimentos e tecnologias compatíveis às suas realidades. Muitas vezes, como pagamento de dívidas, bancos tomavam as propriedades, muitas das quais pertencentes a membros da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB). Tal contexto desafiou a Igreja para que, além de um amparo espiritual e de pregar a palavra de Deus, pudesse dar orientação de como conseguir renda e viabilizar a sua permanência no campo com dignidade.

“Quando iniciou as atividades, o CAPA não usava as expressões orgânico ou Agroecologia, mas pautava sempre a produção sem o uso de produtos químicos. Defendia métodos de agricultura alternativa, como se dizia na época, orientando as famílias para a produção de sementes e do aproveitamento daquilo que a propriedade oferecia sem custos, ou sem precisar comprar de fora” explica Jhony.

Resultados

Para Vilmar Saar, coordenador do CAPA/Núcleo Marechal Cândido Rondon, “ao longo de 20 anos conseguimos ampliar de forma significativa o público, as parcerias, os recursos nacionais e nossa equipe”. Ele salienta as boas parcerias, em especial com a Unioeste Campus de Marechal Cândido Rondon e Itaipu Binacional. Outro destaque cabe à Rede Ecovida, a partir da estruturação e bom funcionamento do núcleo Oeste do Paraná.

Enfatizando a autonomia no processo produtivo, também está o trabalho com homeopatia na agropecuária, capacitando a equipe técnica do CAPA e as famílias parceiras, a partir de cursos e seminários regionais. A safra de 360 sacas de milho, produzida pelas aldeias indígenas Añetete e Itamarã, com certificação orgânica, é outro destaque apontado por Vilmar.

Foto: Cristiano Sant'Anna/Banco de Imagens CAPA